Felicidade

Não viemos ao mundo para simplesmente trabalhar, ganhar dinheiro, comprar casas, carros e viajar. Viemos ao mundo para dar significado para alguma coisa ou para alguém.

Quando vejo pessoas lutando por um mundo melhor, trabalhando para desenvolver um diferencial para um mercado, um setor ou até mesmo para a empresa onde trabalham, fico admirado e chego a me emocionar por essa dedicação.

Mas quando vejo pessoas vendendo suas almas, excluindo-se de suas famílias e amigos para ostentar seus ganhos, querendo a todo custo se mostrarem superiores aos outros, fico triste e às vezes revoltado com tamanha ignorância.

Essa pessoas entraram em um ciclo sem fim de terrorismo com eles mesmos, um ciclo vicioso que primeiramente transforma as pessoas a sua volta, em pessoas infelizes, tristes e desmotivadas pela convivência.

Se esse é o caminho que o mundo quer seguir, se é desse fruto que as pessoas querem viver, então porque tanta hipocrisia em redes sociais com postagem de filmes e apresentações de um mundo lindo e perfeito?

Se o mundo deseja se transformar, que esqueçamos de vez o poder. Em um mundo perfeito não poderia existir poder, porque quanto mais existe a luta pelo poder, mais as pessoas querem se diferenciar dos outros e isso é o fim da humanidade.

Somos diferentes nas atitudes, nos desejos, nos objetivos, mas somos iguais nas necessidades de carinho, felicidade, saúde, amor, paz, amizade e relacionamento.

O que importa o tipo de carro que as pessoas compraram, se o que quero delas é a amizade, companheirismo e parceria.

O que importa o tamanho da casa dos amigos, se o que quero deles é compartilhar algumas horas de conversa e risadas.

Preciso me importar, se você está feliz, saudável e se existe algo que eu possa te ajudar.

O que as pessoas não entendem, é que quanto mais felizes estão as pessoas ao nosso lado, maior a chance de compartilharmos momentos alegres e sermos felizes também.

A felicidade aparece com o tempo, ela é construída, conquistada, contagiante, inspiradora e sem dúvida alguma ela é merecida.

Você pode estar feliz sozinho ou acompanhado

Você pode estar feliz por alguém estar feliz ou por ter levado felicidade para alguém

Você pode ser feliz trabalhando ou pode ser feliz sem fazer nada

Você pode ser feliz por estar livre, mas pode ser feliz por estar preso por algo ou alguém

Você pode ser feliz com 20 anos, mas também pode ser completamente feliz com 80 anos

Felicidade deveria ser a sorte de viver sua vida inteira, sem contratempos, com muita saúde, empregos duradouros, amigos inseparáveis, um (a) único (a) parceiro (a) para o resto da vida, família saudável, chance de viajar, ter dinheiro suficiente para não passar privações e segurança para ter paz.

Mas felicidade é amar os outros como você ama você próprio, doando para essas pessoas, tempo, é poder passar por todo tipo de privações durante a vida e mesmo assim levantar a cabeça e dar a volta por cima, perder a saúde, mas nunca a esperança, brigar com um amigo ou familiar e fazer as pazes, dizer coisas horríveis para alguém e um dia se desculpar, receber algo de alguém e agradecer eternamente, viver com dores, mas focar sua atenção para a parte do corpo que esta perfeita, acreditar em Deus mesmo que no fundo questione ou pense que ele não exista, pois no fundo acreditar em Deus é acreditar em nós mesmos, por intermédio de nós provamos a sua existência. Por fim, felicidade é conseguir superar as coisas que não queremos para nós, mas que nos acontecem, para provar que somos capazes de conseguir essa tal de felicidade.

Uma das melhores coisas da vida é trabalhar no que gosta, no que te faz feliz, algo que te faça se sentir importante, útil, se não faz isso hoje, tente fugir de alguma forma, você pode ganhar muito menos dinheiro, mas tenha certeza que ganhará muito mais anos de vida.

Se hoje você pensa em dinheiro, investimentos e status, desista então da liberdade, pois ela não esta atrelada a essas coisas…pensando assim você estará sempre preso ao material e terá de esquecer de pessoas, inclusive daqueles que você ama.

A sociedade não está esperando que você faça sucesso, que seja feliz, e que seja um vencedor; a atitude de sair do que faz hoje e chegar a algum ponto diferente, deve partir de você, porque se isso não acontecer, a sociedade continuará vivendo e você continuará sofrendo.

Felicidade = Liberdade, não se esqueça disso.

Por : Marcelo Salvo

Posted in Sem categoria | Leave a comment

Cliente Bem Informado, Mudança de Cenário

Vivemos um momento, onde o cliente já tem definido em sua cabeça o que ele quer ouvir. O grande desafio é descobrir a melhor maneira de aborda-lo sem que o engane, confunda, enrole ou que não cumpra com o prometido.

Se de um lado existe o profissional sério, que com sua forma de agir leva a informação correta ao cliente, do outro existe aquele que já descobriu há muito tempo essa característica do cliente e vem utilizando mil e uma formas de persuadi-lo, algo que o leve rapidamente ao objetivo desejado, ouvir a historinha desejada.

Temos que acabar com isso, este momento seria propicio para o começo de uma nova educação, uma nova forma de se pensar e reverter definitivamente à concepção do cliente, levando ele a pensar nos prós e contras de cada situação, que deixássemos claro até onde o cliente tem a razão.
Como temos muito menos pessoas com cabeças de empreendedores, poucos analisam essa relação entre cliente e fornecedor.

O cliente bem informado, tende a pensar em cada situação de forma assertiva, ou seja, pensa nos direitos e obrigações das partes. Se conseguíssemos melhorar essa comunicação com os outros também, estaríamos mudando o futuro organizacional, seria uma transformação cultural e dos mercados.

Informação, instrução, educação, comunicação, são palavras que ainda precisam ser enraizadas na cultura do país, mais cedo ou mais tarde, as coisas podem piorar ou melhorar em relação ao desenvolvimento mundial, só nos resta contribuir ou se anular nesse processo e ver o caos em cada segmento.

Por Marcelo Salvo

Posted in Gestão | Tagged | Leave a comment

Elementos de Cultura Organizacional

Cultura vem do latim colere e significa cultivar. Na sua acepção antropológica – utilizada pelos estudiosos de administração nos anos 80, cultura pode ser compreendida como a totalidade dos padrões aprendidos e desenvolvidos pelo ser humano. É justamente neste sentido que a cultura organizacional se orienta: ela representa um conjunto de comportamentos e princípios que se desenvolvem a partir da interação de diversos indivíduos num ambiente empresarial.

A cultura organizacional possui alguns elementos considerados chaves. São eles:

Valores: É o conjunto de princípios que uma organização entende como necessários para atingir o sucesso. Normalmente os valores são determinados pelo(s) fundador(es) da empresa e devem procurar atender tanto aos seus objetivos quanto às necessidades de seus colaboradores.

Crenças ou Pressupostos: São originados dos valores adotados pela empresa. Quando uma organização assume um princípio, ele gera um comportamento que, ao provar-se eficiente na resolução de problemas, é transformado numa crença. Os pressupostos são aceitos como uma verdade implícita na cultura organizacional, não sendo claros nem objetivos.

Ritos, rituais, cerimônias: São eventos que acontecem dentro das empresas para reforçar os valores e tornar a cultura visível. Estes acontecimentos tocam no imaginário dos colaboradores, motivando-os e reduzindo conflitos. Podem ser festas de aniversário, comemorações de final de ano, escolha do funcionário destaque, entre muitos outros.

Mitos e estórias: São fatos ocorridos no passado da empresa que foram memorizados pelos seus funcionários ou inventados. Servem como exemplos na resolução de problemas, reforçando o comportamento que melhor se adequa ao ambiente da empresa.

Tabus: É o conjunto de comportamentos e assuntos considerados polêmicos ou proibidos. A função dos tabus é orientar os membros da organização, delimitando um aspecto disciplinar na sua cultura, focado no “não permitido”.

Heróis: São os indivíduos que personificam o sistema de valores da organização. Os heróis representam a empresa e oferecem uma imagem de força, coragem e determinação para os colaboradores. Heróis nunca são definidos através do medo e imposição, mas através de exemplos positivos.

Normas: É o conjunto de regras adotadas na organização. As normas são o comportamento adequado que é gerado dentro da empresa a partir dos valores, mitos, tabus e do exemplo dos heróis. Em suma, as normas determinam quando os colaboradores serão recompensados, punidos, confrontados, encorajados ou postos em ostracismo quando as violam.

Comunicação: Como as organizações são sustentadas através de interação social, elas podem ser observadas como fenômenos de comunicação. É através da troca de mensagens – orais ou não – que todos os elementos da cultura organizacional se entrelaçam e se manifestam no dia a dia da organização.

A cultura organizacional, bem como a sua mudança, quando necessária, é foco de diversos estudos na área administrativa. Isso se dá porque uma organização que desenvolve uma cultura forte gera maior engajamento dos seus colaboradores, conseguindo, com isso, melhores resultados.

Logo, uma empresa com valores claros, crenças bem estabelecidas, ritos, tabus e normas bem delineadas – sem falar de um sistema de mitos fortes e uma boa comunicação – tem mais chances de obter sucesso do que outra com uma cultura que não preze pelo envolvimento de todas as dimensões que a compõe.

O conteúdo desse artigo é de responsabilidade do seu autor Rodrigo Rodrigues.

CEO da Acesso Shop (www.acessoshop.com.br)

Posted in Gestão | Leave a comment